O que é o blog?

“Antes da cidade houve a pequena povoação, o santuário e a aldeia, antes da aldeia, o acampamento, o esconderijo, a caverna, o montão de pedras, e antes de tudo isso, houve certa predisposição para a vida social que o homem compartilha, evidentemente, com diversas outras espécies de animais”. Lewis Mumford

O ser humano é caracterizado por viver em coletividade e em constante transformação. Desde a sua origem até a ocupação dos mais longínquos lugares do planeta, a trajetória humana é traçada por uma humanidade em movimento. O que não implica necessariamente em deslocamento físico. Vide a revolução causada pela internet, que desafia a inviolabilidade das dimensões físicas – mas segue submissa à inexorabilidade do tempo.

Sendo essencialmente um animal social, é intrínseco ao ser humano viver em grupos, famílias e, em maior escala, em sociedades. A cidade, organismo vivo e pulsante, se configura na espacialização desta essência, por facilitar a vida social e o deslocamento das pessoas para que elas usufruam deste espaço e cumpram as suas funções no ecossistema urbano. Ela nasce do complexo processo de desenvolvimento humano ao longo da história.

Com todas as suas ambiguidades, problemas e soluções, capacidade de integrar e fragmentar e de proporcionar oportunidades a uns e negá-las a outros, as cidades abrigam mais da metade da população mundial e parece inevitável que esta proporção só aumente com o tempo. O fenômeno urbano é irrevogável.

Neste contexto, há uma série de desafios a serem enfrentados para que esta forma de vida se torne sustentável. A recuperação e preservação do meio ambiente, a distribuição equitativa de recursos, a elevação do índice de desenvolvimento humano mundial e a reparação de graves injustiças sociais são alguns deles. Mudanças e transformações são tão necessárias quanto imperativas. A sociedade é o agente fundamental deste processo.

Não há consenso acerca dos conceitos relacionados à sociedade e à cidade, nem sobre o que é, de fato, desenvolvimento dentro destes universos e não se tem a pretensão, neste blog, de discutir tais questões. O objetivo deste espaço (virtual e sujeito à ação do tempo) é configurar um ambiente de debates sobre as cidades e todos os elementos envolvidos com ela. Aqueles que a contêm e que nela estão contidos.

Estão abordados, portanto, qualquer assunto que possa estar direta ou indiretamente relacionado a este organismo vivo chamado cidade. Visualizo este espaço como o pintor que observa e desenha o modelo posicionado à sua frente. A diferença é que impossível parar o nosso modelo, de modo que, mais do que de contemplação, precisamos de ação.

Não há sociedade sem movimento.